一般想要增大的,一定要坚持喝粉嫩公主酒酿蛋丰胸产品,并且用按摩胸部来辅助,以取得更好的丰胸作用,第一个月一般是疏通乳腺时期粉嫩公主酒酿蛋丰胸,这个时候一般没什么反响,得到乳腺疏通了,就会为胸部弥补营养,胸部也能顺畅吸收营养了丰胸产品,然后开始增大,能够增大1-3个罩杯不等,这个看个人体质,吸收的状况,还有时刻的长短,越坚持得久粉嫩公主丰胸产品,作用会越好。
Gestão da TI http://gestaodati.com Mon, 28 Jan 2019 19:55:17 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=5.1.8 http://gestaodati.com/wp-content/uploads/2018/09/logo_gti_new_icon_pag-150x150.png Gestão da TI http://gestaodati.com 32 32 IT Business – Domain GTI http://gestaodati.com/it-business-domain-gti/ http://gestaodati.com/it-business-domain-gti/#respond Mon, 28 Jan 2019 19:51:35 +0000 http://gestaodati.com/?p=230 Disponibilização de domínio para parceria. Entre em contato pelo e-mail de contato!!! GESTÃO DA TI...

O post IT Business – Domain GTI apareceu primeiro em Gestão da TI.

]]>
Disponibilização de domínio para parceria.

Entre em contato pelo e-mail de contato!!!

GESTÃO DA TI . COM

O post IT Business – Domain GTI apareceu primeiro em Gestão da TI.

]]>
http://gestaodati.com/it-business-domain-gti/feed/ 0
Negócios TI: Domínio gestaodati.com http://gestaodati.com/negocios-ti-dominio-gestaodati-com/ http://gestaodati.com/negocios-ti-dominio-gestaodati-com/#comments Mon, 17 Dec 2018 16:03:37 +0000 http://gestaodati.com/?p=220 Negócios TI: Domínio gestaodati.com

O post Negócios TI: Domínio gestaodati.com apareceu primeiro em Gestão da TI.

]]>
Negócios TI: Domínio gestaodati.com

O post Negócios TI: Domínio gestaodati.com apareceu primeiro em Gestão da TI.

]]>
http://gestaodati.com/negocios-ti-dominio-gestaodati-com/feed/ 2
Apple completes Shazam acquisition, will make app ad-free for everyone http://gestaodati.com/apple-completes-shazam-acquisition-will-make-app-ad-free-for-everyone/ http://gestaodati.com/apple-completes-shazam-acquisition-will-make-app-ad-free-for-everyone/#respond Tue, 25 Sep 2018 19:15:29 +0000 http://gestaodati.com/?p=169 Apple has successfully completed its acquisition of Shazam, the popular song identification app. The company...

O post Apple completes Shazam acquisition, will make app ad-free for everyone apareceu primeiro em Gestão da TI.

]]>

Apple has successfully completed its acquisition of Shazam, the popular song identification app. The company confirmed it was buying Shazam and its development team for a reported $400 million last December. The acquisition was temporarily held up because of an investigation by the European Union, which scrutinized the deal over potential antitrust concerns. But regulators gave it the thumbs up earlier this month.

In what’s sure to be welcome news for Shazam users, Apple has announced that it will be removing all ads from the app “soon.” And yes, that includes the Android version, which isn’t going anywhere.

Shazam has been downloaded over 1 billion times around the world and is used over 20 million times every day, according to Apple’s press release. The app has been around since the beginnings of the App Store and was one of the coolest early demos of what a mobile app could do. You’d hold up your phone, let it listen to a song playing nearby for a few seconds, and the track and artist information would just pop up on screen like magic. All these years later, it’s now a feature that’s available on many platforms and one we take for granted.

Source: TheVerge

O post Apple completes Shazam acquisition, will make app ad-free for everyone apareceu primeiro em Gestão da TI.

]]>
http://gestaodati.com/apple-completes-shazam-acquisition-will-make-app-ad-free-for-everyone/feed/ 0
Redes sociais X Política brasileira : Qual o tamanho da influência no atual cenário político nacional ? http://gestaodati.com/redes-sociais-x-politica-brasileira/ http://gestaodati.com/redes-sociais-x-politica-brasileira/#comments Wed, 19 Sep 2018 19:30:45 +0000 http://gestaodati.com/?p=154 Hoje as redes sociais, se tornaram uma gigantesca bancada de discussão política, qual o tamanho...

O post Redes sociais X Política brasileira : Qual o tamanho da influência no atual cenário político nacional ? apareceu primeiro em Gestão da TI.

]]>

Hoje as redes sociais, se tornaram uma gigantesca bancada de discussão política, qual o tamanho de sua influência? E quais os prós e contras dessa nova onda político-cibernética?

É fato, que hoje muitos analfabetos funcionais, conseguiram o tão sonhado diploma de cientista político, isso graças as redes sociais que fomentam discussões acaloradas e até brigas que chegam aos tribunais do Brasil inteiro, pela intolerância e radicalismo.

Graças (ou a desgraça), deste fenômeno, observamos um grande número de amizades desfeitas, discussões acaloradas em espaços presenciais e digitais, intensa polarização entre a militância das distintas campanhas, radicalismos, extremismos de toda ordem e um elevado grau de intransigência parecem ter caracterizado boa parte das discussões que ouvimos, vivemos ou testemunhamos nos últimos meses.

Verdade que as redes sociais, também ajudaram muito a população a colocar para fora sua indignação, e a falta de respaldo de autoridades omissas. Como citado no título “Prós & Contras”, mas analisando a fundo, oque vemos é um enorme circo de vaidades, sabichões e pseudos-intelectuais, formadores de opinião e o pior tipo, os radicais políticos.

 

Resultado de imagem para urna rede social

 

Atualmente, é arriscado analisar o comportamento da opinião pública brasileira sem levarmos em consideração o que é debatido e compartilhado nas redes sociais.

E justamente este é o problema, muitas informações compartilhadas na rede, são informações errôneas, sem fundamento algum, inverídicas, e até mesmo plantada por desocupados, pelo simples prazer de observar pela tela de seu PC, ou Smartphone o circo pegar fogo.

Acredito na liberdade de expressão, mas hoje é muito, mas muito arriscado você se posicionar via rede social, a intolerância chegou a um ponto tão extremo, que uma simples opinião pode causar uma avalanche de insultos e até ameaças.

Tudo isso nos leva a refletir, também, a respeito da forma como as pessoas utilizam a web. A maioria as utiliza a internet quase da mesma forma como faz com a TV. São consumidores passivos de informação, o espaço de tempo dedicado à prospecção é mínimo. As redes sociais digitais contribuem sobremaneira para isso, fazendo com que o usuário se contente com aquilo que aparece em sua timeline.

Então, quando as pessoas são levadas a participar de alguma polêmica, muitas vezes adotam um comportamento impulsivo, replicando informações em grande quantidade em suas próprias redes, contribuindo para o sentimento coletivo de urgência e eliminando o tempo da reflexão. E como os filtros agem mecanicamente, retirando boa parte do conteúdo contrário, o resultado pode ser o estabelecimento de um consenso artificial e perigoso. Daí as reações, muitas vezes enraivecidas, quando alguém na nossa rede ousa desafiar o bom senso.

O uso das redes sociais para a discussão e a defesa de plataformas políticas não parece ser um fenômeno passageiro. A intransigência e o radicalismo na rede devem ser rebatidos por quem acredita que o universo das redes deve servir à promoção da liberdade de opinião, ao pluralismo e ao debate democrático de ideias e não à reprodução de outras formas de alienação.

O poder da informação é ilimitado, por isso nós usuários devemos usufruir os conteúdos postados em redes sociais com cuidado, verificando sempre a veracidade da informação, e mais que isso devemos ter um pouco mais de respeito ao próximo ao entrarmos em debates, levando sempre em consideração a famosa liberdade de expressão, que a tempos vem sendo banalizada e pouco usada.

 

Fonte: Jusbrasil

O post Redes sociais X Política brasileira : Qual o tamanho da influência no atual cenário político nacional ? apareceu primeiro em Gestão da TI.

]]>
http://gestaodati.com/redes-sociais-x-politica-brasileira/feed/ 1
Introdução à Indústria 4.0 http://gestaodati.com/introducao-a-industria-4-0/ http://gestaodati.com/introducao-a-industria-4-0/#respond Fri, 14 Sep 2018 13:40:49 +0000 http://gestaodati.com/?p=66 A Indústria 4.0 surgiu com a 4ª Revolução Industrial, um conjunto de tecnologias que têm...

O post Introdução à Indústria 4.0 apareceu primeiro em Gestão da TI.

]]>
A Indústria 4.0 surgiu com a 4ª Revolução Industrial, um conjunto de tecnologias que têm modificado a indústria e a sociedade. Denominadas como tecnologias habilitadores, desenvolvidas ou em desenvolvimento, são tecnologias capazes de implementar as bases do proposto pela indústria 4.0.

É importante entender que as tecnologias não tem revolucionado apenas a indústria, mas também o dia a dia da sociedade. Como? Integrando informações, impactando diretamente no setor produtivo.

Abaixo as tecnologias:

 

Abaixo uma abordagem sucinta das tecnologias habilitadoras:

Big Data

São os dados gerados por máquinas, equipamentos, sistemas, sensores e os próprios trabalhadores da empresa, com a análise e a interpretação de grandes volumes de dados de grande variedade. Para isso são necessárias soluções específicas para Big Data que permitam a profissionais de TI trabalhar com informações não-estruturadas a uma grande velocidade.

Computação em Nuvem

Alinhado com o Big Data, os dados devem ser armazenados, tratados e protegidos. Para dar conta do grande volume de dados (Big Data) são estipuladas as regras de valor dos dados e a forma de armazenamento. A empresa pode lançar mão da Computação em nuvem para efetuar os cálculos necessários à análise dos dados em estudo, e utilizar sistemas de Segurança digital para o controle de acesso às informações geradas.

Em uma planta industrial, pode ser instalado um painel de controle central, onde monitora todo o processo de produção por meio de um software, o Manufacturing Execution System – MES.

IoT – Internet das coisas

É a responsável pela integração de todos os dispositivos dentro e fora da planta industrial, é o conceito que representa a conexão entre objetos físicos, sistemas, plataformas, máquinas e aplicativos interagindo com ambientes externos e internos, com aplicação industrial ou no seu cotidiano, tornando-se inteligentes por terem suas funções ampliadas por cruzamento de dados.

Máquinas e equipamentos podem ser dotados de sensores, com recursos de conexão de comunicação, que enviam informação (dados) sobre o processo e sobre o seu próprio desempenho para a base de dados.

Robótica Avançada

Desde suas primeiras aplicações na indústria, com a finalidade de proteger o trabalhador de condições insalubres ou atividades inseguras, a Robótica Avançada tem se estendido para as mais variadas operações, como transporte, processos e operações repetitivas, inspeção e testes.

Os robôs são capazes de se conectar à sistemas em um processo de comunicação com outras máquinas, conhecido como M2M (machine to machine). Existem, ainda, robôs que podem trabalhar colaborativamente com os seres humanos (Robótica Colaborativa).

Segurança Digital

As medidas de Segurança Digital aplicadas na indústria visam garantir que o acesso aos sistemas seja permitido apenas àqueles que possuem o direito. Existem acesso aos sistemas, por exemplo, somente após reconhecimento facial.

Manufatura Digital

Na manufatura digital, o processo produtivo é todo modelado tridimensionalmente, ou seja, em desenhos 3D (três dimensões) em softwares de CAD (desenho assistido por computador). Neste modelo, todas as máquinas, equipamentos, dispositivos, robôs, produtos, são desenhadas e o processo então, simulado virtualmente, permitindo a análise e correção de problemas antes da montagem real. Este modelo propicia uma enorme economia de instalação, redução de riscos e melhoria no próprio processo produtivo previsto.

 

Resumindo, revolução ou evolução? O certo é que as tecnologias habilitadoras, a comunicação M2M e IoT na automação do chão de fábrica, proporciona uma análise antecipada da implantação do processo, minimizando os riscos, reduzindo custos e maior rentabilidade.

O post Introdução à Indústria 4.0 apareceu primeiro em Gestão da TI.

]]>
http://gestaodati.com/introducao-a-industria-4-0/feed/ 0
Aplicação de drones na indústria http://gestaodati.com/aplicacao-de-drones-na-industria/ http://gestaodati.com/aplicacao-de-drones-na-industria/#respond Fri, 14 Sep 2018 13:30:43 +0000 http://gestaodati.com/?p=63 Em desenvolvimento…

O post Aplicação de drones na indústria apareceu primeiro em Gestão da TI.

]]>
Em desenvolvimento…

O post Aplicação de drones na indústria apareceu primeiro em Gestão da TI.

]]>
http://gestaodati.com/aplicacao-de-drones-na-industria/feed/ 0
Conheça os 5 principais indicadores de TI http://gestaodati.com/57/ http://gestaodati.com/57/#respond Fri, 14 Sep 2018 12:53:23 +0000 http://gestaodati.com/?p=57 As rotinas de gestão de uma empresa podem ser otimizadas por meio de várias estratégias....

O post Conheça os 5 principais indicadores de TI apareceu primeiro em Gestão da TI.

]]>
As rotinas de gestão de uma empresa podem ser otimizadas por meio de várias estratégias. Na área de tecnologia, por exemplo, os indicadores de TI são uma importante forma de auxiliar gestores a terem uma visão abrangente sobre todas as rotinas e, assim, eliminar gargalos e problemas de performance. Além disso, com as métricas certas, a empresa consegue ter um fluxo de trabalho mais inteligente e competitivo.

Quer saber como isso é possível e o papel dos indicadores de TI no sucesso das estratégias da empresa? Então continue a leitura deste post!

O que são KPIs (Key Performance Indicators)?

Os KPIs são métricas utilizadas para verificar o impacto que as medidas de gestão têm nos resultados de uma área. Eles permitem que gestores avaliem se tudo o que foi planejado atingiu os resultados esperados.

Os indicadores de TI, por exemplo, auxiliam a empresa a verificar como a tecnologia está impactando nos seus resultados e de qual forma as rotinas do setor contribuem para otimizar o fluxo de trabalho. Dessa forma, as otimizações tornam-se mais acertadas e eficazes.

Por que é importante determinar indicadores de desempenho?

A determinação de bons indicadores de desempenho auxilia a empresa a ter um fluxo de trabalho mais inteligente, eficaz e focado nos pontos que a torna competitiva. O empreendimento conseguirá compreender suas vulnerabilidades e os fatores que contribuem negativamente para a sua performance.

As decisões tomadas pelos líderes de cada área terão um impacto maior na rentabilidade da empresa. Dessa forma, os gestores conseguirão escolher os rumos mais inteligentes para que o negócio possa atingir seus objetivos comerciais.

Qual é a relação entre esses indicadores e a tomada de decisão estratégica na empresa?

O mercado muda rapidamente, ainda mais na área de TI. Sendo assim, é importante que gestores tenham mecanismos para saber como as suas decisões impactarão no futuro da empresa e quais são as melhores escolhas.

Os indicadores de TI devem ser vistos como um banco de informações que orienta o negócio a fazer sempre as melhores escolhas para a área. Com informações sobre processos de baixa performance, por exemplo, o gestor consegue otimizar os seus investimentos, evitando prejuízos.

Já o time de técnicos conseguirá visualizar quais são as partes da infraestrutura de TI com performance abaixo do esperado e, assim, definir uma estratégia de trabalho muito mais inteligente.

Como escolher os indicadores mais adequados?

A definição de indicadores de TI deve partir da análise do perfil do negócio, bem como suas demandas, seus objetivos de médio e de longo prazo e as soluções empregadas pelo negócio. Na mensuração, softwares de gestão podem ser empregados, auxiliando o gestor a ter uma visão mais abrangente e precisa sobre o desempenho de todas as áreas do setor.

O gestor pode utilizar metodologias próprias para definir quais serão os KPIs do negócio — como a SMART. Ela orienta o gestor a sempre escolher indicadores que sejam mensuráveis, atingíveis, relevantes para a rotina do setor (ou do negócio como um todo) e que possam ser avaliados periodicamente. Assim, a companhia terá métricas capazes de auxiliar os gestores a ter um fluxo de trabalho mais eficaz e mais bem estruturado.

Quais são os principais indicadores de TI?

O setor de TI pode ter vários indicadores. Justamente por isso, o gestor deve trabalhar para escolher as métricas que estejam mais alinhadas ao perfil da área. Assim, é possível avaliar quais fatores realmente impactam no fluxo de trabalho da área e que devem ser otimizados para que a tecnologia assuma um papel estratégico no dia a dia da companhia.

Na área de gestão de projetos de desenvolvimento, por exemplo, os indicadores podem estar relacionados ao número de falhas que uma aplicação apresenta. Já no help desk e no service desk, eles normalmente têm a ver com a qualidade do atendimento prestado.

Em geral, estes são os principais indicadores utilizados no setor de TI:

1. Indicadores de disponibilidade de serviços e dispositivos

Esses indicadores auxiliam a empresa a avaliar se a infraestrutura e o time de técnicos estão disponíveis sempre que os usuários necessitam. No caso de problemas, a empresa pode modificar as suas rotinas, ampliar o time ou executar mudanças na infraestrutura. É importante que os profissionais estejam apoiados em medidas para prevenir e mitigar falhas em equipamentos.

2. Indicadores de capacidade de processamento e armazenamento de recursos disponíveis para uso

Com esses indicadores, o gestor de TI saberá exatamente o momento de escalar a infraestrutura. Eles são úteis especialmente no médio e no longo prazo, por tornar mais eficaz o planejamento de upgrades em dispositivos como servidores.

3. Indicadores relacionados à qualidade dos serviços do setor

Obtidos por meio de pesquisas feitas diretamente com os usuários, esse tipo de indicador de TI permite que o setor avalie a percepção que o usuário tem dos serviços da área. Assim, fica mais fácil para o time de TI identificar o que deve ser otimizado nos seus processos.

4. Indicadores de aderência a prazos

Cruciais em projetos de TI e na gestão de times, esses indicadores avaliam se as equipes conseguem se manter em dia com os prazos que são dados para os profissionais. Se problemas nessa área forem muito frequentes, mudanças devem ser aplicadas, tais como:

  • a adoção de uma nova metodologia de trabalho;
  • a criação de uma nova política de distribuição de tarefas;
  • a implementação de um software de gestão de rotinas.

5. Indicadores relacionados à performance de um sistema que está em desenvolvimento

Esses indicadores orientam o gestor a efetuar correções em bugs e falhas no código fonte de um sistema antes que ele seja entregue ao usuário. Como as chances de uma aplicação ser distribuída livre de erros são poucas, o ideal é que o empreendimento tenha uma tolerância baixa a esse item, sem prejudicar a experiência do usuário ou a capacidade da empresa de se manter aderente ao prazo de entrega do sistema.

Como o setor de TI pode se tornar mais estratégico?

A tecnologia pode ter um papel estratégico em qualquer empresa, mas para que isso aconteça, o setor de TI deve estar preparado para criar processos e implementar estratégias capazes de gerar um grande impacto no dia a dia do negócio — e que coloquem as soluções tecnológicas no centro das rotinas da empresa para criar um fluxo de trabalho de melhor qualidade.

Para que isso seja possível, o gestor de TI deve trabalhar com todas as áreas, compreendendo o papel que a tecnologia tem no dia a dia de outros setores. Dessa forma, é possível criar estratégias mais inovadoras, que agreguem valor ao negócio e otimizem os indicadores de TI. Além disso, líderes conseguirão compreender o impacto das decisões da área na sua performance e engajar-se muito mais no uso das soluções da empresa.

Em outras palavras, o uso de indicadores de TI como um mecanismo de gestão auxilia a empresa a ter a tecnologia em uma posição estratégica. Os recursos da empresa serão mais bem empregados e as rotinas de TI estarão direcionadas conforme o perfil da empresa. Dessa forma, o impacto da tecnologia nos resultados do negócio será muito maior no médio e no longo prazo.

 

Fonte: IT One

O post Conheça os 5 principais indicadores de TI apareceu primeiro em Gestão da TI.

]]>
http://gestaodati.com/57/feed/ 0
Como aumentar a segurança de dados corporativos? http://gestaodati.com/hello-world/ http://gestaodati.com/hello-world/#comments Tue, 10 May 2016 03:48:21 +0000 http://gestaodati.com/?p=1 A segurança de dados corporativos deixou de ser um assunto de interesse exclusivo da TI....

O post Como aumentar a segurança de dados corporativos? apareceu primeiro em Gestão da TI.

]]>
A segurança de dados corporativos deixou de ser um assunto de interesse exclusivo da TI. A falta de proteção não só expõe a empresa a ataques virtuais, como pode prejudicar seus clientes e, consequentemente, diminuir a credibilidade da sua marca. Ainda assim, elaborar uma barreira de segurança representa um desafio para muitos gestores.

Pensando nisso, elaboramos este artigo com algumas soluções para esse problema e dicas fundamentais que vão ajudá-lo a garantir a segurança dos dados da sua empresa. Confira!

Adote ferramentas de cibersegurança

O ponto de partida para uma política de segurança da informação eficiente é a adoção de ferramentas que constituam uma barreira contra ameaças digitais, como um Security Information and Event Management (SIEM). Esta solução dá suporte para correlacionar logs a eventos que possam representar algum risco à segurança de dados corporativos.

Assim, ele agiliza a detecção de ações, como uma tentativa de acesso não autorizado à rede da sua empresa. Para complementar, algumas dessas soluções permitem a configuração de planos de resposta automática a incidentes — o bloqueio de usuários que realizam ações suspeitas, por exemplo.

Já as ferramentas de Data Loss Prevention (DLP) proporcionam, como o nome sugere, a “prevenção de perda de dados”. O Storage DLP permite que os administradores do sistema saibam quais dados seus administradores estão salvando e compartilhando — além de mostrar quais dessas informações são sigilosas.

O Endpoint DLP, por sua vez, ajuda na prevenção a perdas de dados armazenados em dispositivos móveis ou mídias removíveis (HDs externos, por exemplo). Ele permite ações como o bloqueio do uso de pen drives nos computadores da empresa para garantir que o ambiente de tráfego e armazenamento desses dados seja controlado.

Vale ressaltar que essas soluções não eliminam a necessidade de contar com ferramentas essenciais de segurança, como antivírus profissional, antispam, firewalls etc.

Faça análises periódicas de risco

As análises de risco podem ser separadas em dois tipos de ação mais relevantes: a auditoria e os testes. Na primeira, é feita uma checagem em todo o sistema de cibersegurança com o objetivo de atualizar os softwares e adequar suas configurações. Isso faz com que a proteção seja mantida dentro do nível planejado.

A outra análise faz referência aos testes de penetração, uma ação crucial para avaliar se a infraestrutura atual é suficiente para manter os dados protegidos. Esse tipo de estratégia permite que sua empresa mantenha um olhar apurado sobre as necessidades do sistema de segurança e trabalhe em busca de melhoria contínua.

Crie um plano de recuperação de desastres

Quando o assunto é cibersegurança, é impossível criar um sistema 100% seguro. O motivo é simples: a segurança dos dados não está sujeita simplesmente a ataques, mas a eventos externos como falhas nos equipamentos e até mesmo fenômenos naturais como chuvas, raios, inundações, terremotos, etc.

Muitas empresas acabam ignorando esses fatores, algo que pode custar caro no futuro. Por isso, é essencial contar com um plano de recuperação de desastres (Disaster Recovery). Nele serão especificadas todas as ações a serem tomadas em caso de incidentes que comprometam a integridade e disponibilidade dos dados.

Isso envolve a reestruturação da TI, a designação de quem é responsável por cada tarefa, os passos a serem seguidos para recuperação de dados corrompidos, etc. Por fim, não se esqueça de manter um backup dos seus bancos de dados atualizado com frequência e, se possível, armazenado na nuvem!

A perda de dados é uma das maiores causas de prejuízo financeiro, ainda que possa ser evitada com essa estratégia.

Estabeleça uma política de níveis de acesso

A padronização de processos é uma prática fundamental para a segurança da informação. Isso significa incorporar uma cultura de cibersegurança em todos os departamentos, estabelecendo práticas a serem seguidas por cada profissional da sua empresa.

Um bom exemplo disso é a política de níveis de acesso, que delimita o quanto cada colaborador pode acessar na rede, de acordo com a função que ele desempenha. O resultado é uma infraestrutura de TI mantida sob controle mais rígido, com monitoramento mais preciso das ações de cada um.

Para adotar essa medida, é preciso garantir que todos tenham um login próprio, com senha de alto nível de segurança. Além disso, a empresa deve investir esforços em um ponto crítico para a cibersegurança: o engajamento coletivo.

Envolva todos os colaboradores nas práticas de segurança

Por mais que o poder de ação dos cibercriminosos evolua junto com a tecnologia, um dos grandes desafios da gestão de TI continua sendo o comportamento dos colaboradores. Hoje, a maioria dos casos de invasão ou infecção por vírus e malwares continua sendo a falha humana.

Os cibercriminosos costumam adotar práticas de engenharia social: eles estudam o comportamento dos funcionários e encontram brechas para entrar na rede. Um pendrive infectado, por exemplo, pode levar uma ameaça da casa de um profissional para a empresa. Um e-mail com link para um site não seguro, por sua vez, pode abrir uma porta para a entrada de ransonwares na sua rede.

Ou seja, mesmo a mais eficiente das estruturas de cibersegurança depende de um forte engajamento dos colaboradores. É preciso que eles entendam o tamanho do problema, conheçam os riscos e se comportem de maneira a evitar que essas ameaças entrem nos servidores da organização.

Porém, isso não deve se resumir a uma ação única na hora da contratação. É fundamental manter o assunto em pauta e discuti-lo periodicamente. Portanto, promova reciclagens, treinamentos, reuniões e eventos que informem os colaboradores sobre os novos riscos e quais são as melhores práticas para evitá-los.

Algumas ações devem ser classificadas como indesejadas ou proibidas. Alguns exemplos são:

  • compartilhar senhas entre colaboradores;
  • enviar documentos sigilosos para e-mails não corporativos;
  • fazer download de arquivos indevidos pela rede e nos computadores da empresa;
  • acessar sites não confiáveis;
  • inserir CDs, DVDs, pen drives ou outras mídias externas pessoais nos computadores da empresa.

Lembre-se de manter os funcionários conscientizados e de investir em uma cultura de cibersegurança. Mesmo durante a implementação de novas soluções, é importante seguir o fluxo de gestão de mudanças e inserir cada novo processo dentro das práticas estabelecidas.

A ISO/IEC 27014 (Governança e Segurança da Informação) é uma ferramenta extremamente relevante para facilitar o trabalho do gestor. Adote essa norma como referência e coloque essas dicas em prática — se for necessário, procure o apoio de um especialista no assunto. Os resultados serão notados rapidamente!

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e mantenha seus colegas informados sobre a importância da segurança de dados corporativos no ambiente empresarial!

Fonte: IT One

O post Como aumentar a segurança de dados corporativos? apareceu primeiro em Gestão da TI.

]]>
http://gestaodati.com/hello-world/feed/ 2